Espalhe por ai:

O Ministro do Tribunal Superior Eleitoral-TSE e Corregedor Geral-Eleitoral Luís Felipe Salomão, determinou a quebra de sigilo e intimação para que 5 empresas encaminhem relatórios a respeito de um episódio onde hackers invadiram o grupo intitulado “Mulheres Contra Bolsonaro” e alteraram o nome para “Mulheres com Bolsonaro”. O processo foi movido pelos ex-candidatos Guilherme Boulos e Marina Silva.

Na decisão, o Ministro elenca as informações que as empresas terão que encaminhar ao TSE.

  • Facebook: Dados do grupo e registros de acessos de administradores e visitantes no período de 30 de agosto a 16 de setembro de 2018.
  • Twitter: Dados de uma publicação feita pelo presidente Jair Bolsonaro em 2018.
  • Microsoft: Registros de uma conta de e-mail que pode ter sido acessada no dia do ataque.
  • Oi / Vivo: Dados cadastrais de três linhas telefônicas e a identificação do IP que podem ter sido usados na invasão.

O Ministro cita em sua decisão, que não esta solicitando à Polícia Federal que abra investigação, mas que realize a perícia no material a ser recebido por parte das empresas citadas. As empresas tem o prazo de 5 dias para entregaram o material solicitado pelo TSE. O processo tramita no TSE desde 2018, em Junho do ano passado, foi reaberto o prazo para coleta de provas.

Espalhe por ai: