Espalhe por ai:

Um manifesto assinado por mais de 250 acadêmicos, empresários, intelectuais, artistas e outras personalidades, pede respeito às eleições de 2022 e a garantia para realização do Pleito. Este manifesto é uma resposta aos seguidos ataques que o Presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) e seus seguidores tem feito ao sistema eleitoral.

O manifesto foi publicado na edição de hoje do jornal Folha de São Paulo e outros jornais de circulação nacional e expressa confiança nas urnas eletrônicas e na justiça eleitoral.

O texto é assinado por os empresários Luiza Trajano (Magazine Luiza), Guilherme Leal (Natura) e Roberto Setúbal (Itaú); os economistas Armínio Fraga, Pérsio Arida e André Lara Resende; os líderes religiosos Dom Odilo Sherer (cardeal arcebispo de São Paulo) e Monja Coen; os médicos Raul Cutait, Drauzio Varella e Margareth Dalcomo; os ex-ministros José Carlos Dias, Pedro Malan, Paulo Vanuchi e Nelson Jobim; e os professores universitários Luiz Felipe de Alencastro e Candidato Mendes de Almeida.

“Apesar do momento difícil, acreditamos no Brasil. Nossos mais de 200 milhões de habitantes têm sonhos, aspirações e capacidades para transformar nossa sociedade e construir um futuro mais próspero e justo. Esse futuro só será possível com base na estabilidade democrática”, diz o manifesto.

O manifesto está disponível no site (www.eleicaoserespeita.org) e está aberto para novas adesões. Leia abaixo o manifesto:

  • O Brasil terá eleições e seus resultados serão respeitados

 

O Brasil enfrenta uma crise sanitária, social e econômica de grandes proporções. Milhares de brasileiros perderam suas vidas para a pandemia e milhões perderam seus empregos.

Apesar do momento difícil, acreditamos no Brasil. Nossos mais de 200 milhões de habitantes têm sonhos, aspirações e capacidades para transformar nossa sociedade e construir um futuro mais próspero e justo.

Esse futuro só será possível com base na estabilidade democrática. O princípio chave de uma democracia saudável é a realização de eleições e a aceitação de seus resultados por todos os envolvidos. A Justiça Eleitoral brasileira é uma das mais modernas e respeitadas do mundo. Confiamos nela e no atual sistema de votação eletrônico. A sociedade brasileira é garantidora da Constituição e não aceitará aventuras autoritárias.

O Brasil terá eleições e seus resultados serão respeitados.

Espalhe por ai: